DIÁRIO DE BORDO

30/05/2019

O Pac Man dos investimentos

db_15082019_img_01

É quase impossível encontrar alguma pessoa com acesso à informação que nunca tenha jogado ou nem ao menos conheça o clássico Pac-Man. Referência da cultura pop, Pac-Man foi o jogo mais vendido para o console Atari 2600. Na era dos smartphones, o Come-come também fez um baita sucesso, com mais de 30 milhões de jogos vendidos nos Estados Unidos.

No mundo dos fundos de investimentos, temos algo chamado “come-cotas” que tem atuação parecida ao amarelinho faminto.

Ele é uma antecipação do Imposto de Renda, cobrado no último dia útil dos meses de maio e novembro.

Tecnicamente falando, o governo tributa 15% de imposto sobre os ganhos obtidos nos investimentos em fundos com tributação de renda fixa. Quando o investidor resgatar seus recursos no fundo, ele deverá pagar a parte que (eventualmente) faltar do imposto, respeitando a tabela descendente (22,5% se o resgate ocorrer nos primeiros 6 meses do investimento, 20% se ocorrer nos segundos 6 meses, 17,5% se ocorrer durante o 2º ano do investimento e 15% para os resgates que ocorrerem após 2 anos do investimento).

Essa tributação ocorre na forma de um resgate compulsório, pago diretamente pelo administrador do fundo ao governo. Daí o nome “come-cotas”. Como o próprio nome diz, o Governo "come" parte de suas cotas nos fundos de investimento.

Então, não se assuste se a quantidade de cotas que você tem no FoF Melhores Fundos ou em outros fundos de investimento estiver menor no início de junho.

Porém, no FoF SuperPrevidência ou em fundos de renda variável não há incidência do “come-cotas”, pois eles respeitam outras regras de tributação.



FoF SuperPrevidência, tá quase lá ...

Ultrapassamos os R$ 930 milhões sob gestão no FoF SuperPrevidência. Não canso de dizer: é um baita orgulho e responsabilidade maior ainda.

Só relembrando aqui: muito em breve fecharemos o fundo para novos entrantes, ou seja, as novas contratações do plano de previdência estarão encerradas.

Isso vai acontecer quando ele completar R$ 1 bi, ou no dia 18/06/19. Qual dos dois chegar antes.



Quem são os novos integrantes

Conforme prometido, fiquei de trazer mais detalhes sobre os novos entrantes no FoF SuperPrevidência. Vamos a eles.


CA Indosuez Heritage FIRF CrPr

O fundo da equipe do CA Indosuez, antigo Crédit Agricole, passa a compor a parcela de Renda Fixa Crédito ao lado de Icatu Vanguarda, Capitânia e Brasil Plural, com 10% cada. Com isso diversificamos ainda mais o risco de crédito da carteira.

Este fundo deve espelhar o fundo Grand Vitesse (que faz parte da carteira do FoF Melhores Fundos). Dentro do FoF, conseguimos acessar o fundo, que é restrito a investidores qualificados. O fundo paga resgates em 30 dias e negociamos uma taxa de administração diferenciada: 0,50% ao ano.

Conheço muito bem a filosofia da casa. Trabalhei com o Fábio Passos, diretor de investimentos da casa, durante 7 anos na BAWM, até 2012. Desde aquela época, ele sempre se preocupava em avaliar os riscos envolvidos em cada oportunidade de investimento.

Com o André Fadul, a relação vem desde o tempo em que investia nos fundos da Mercatto. Quando, mais tarde, ele montou a Arsa, fui um dos primeiros a investir com ele. No CA Indosuez, ele comanda a equipe de crédito, que aproveita diferentes oportunidades, inclusive as chamadas "ofertas restritas" (não disponíveis diretamente no varejo).

 

Kinea Prev II XTR Icatu FICFIM

O XTR, que passa a integrar a carteira do FoF SuperPrevidência, é equivalente ao fundo Chronos - só que da previdência. O Chronos, para quem não sabe, é o multimercado da casa que tem o Itaú́ como sócio.

Pode acontecer de não ser possível replicar alguma estratégia do Chronos no XTR, pelas limitações da regulação de previdência. Até o momento, entretanto, isso não tem acontecido. A correlação histórica entre XTR e Chronos é de 0,99 (sendo que o número seria 1 se comparássemos o fundo com ele próprio).

O XTR cobra 1,5% de taxa de administração e 20% de performance sobre o que exceder o CDI e passa a integrar nossa família de multimercados do portfólio, com 7.5% na alocação teórica.

Ao longo do mês de maio já conseguimos implementar completamente essa alocação.

No fundo, Marco Freire comanda uma equipe dividida em 4 grupos: macro Brasil, micro Brasil, internacional e quantitativo. Com isso consegue investir em diferentes classes de ações, inclusive proteções para os cenários conturbados



Um brinde: balanço dos últimos 6 meses

Nessa semana, a Luciana Seabra, especialista de fundos da publicadora Empiricus, divulgou um relatório no qual faz um balanço semestral da carteira teórica que serve de guia para o FoF SuperPrevidência.

A cada 6 meses, ela e sua equipe falam com todos os gestores da carteira teórica para saber sua visão de mercado e como estão posicionados.

Ela nos autorizou a disponibilizar esse conteúdo para você. Assim você pode acompanhar ainda mais os gestores de perto, conhecer sua cabeça e suas posições. Clique aqui para abrir.

Fiquei muito feliz em oferecer esse conteúdo a você. Ele complementa o trabalho que temos feito aqui na Vitreo de levar mais informação para ajudá-lo a entender mais sobre o mundo de investimentos.



FoF Melhores Fundos - Paineiras: um fundo só, há 12 anos, por opção

"Quando você vê que a gestora tem um fundo só, há 12 anos, você pensa: ou ele é incompetente ou é essa a estratégia".

Foi assim que meu caríssimo José Carlos Carvalho abriu nossa conversa. Ele e a Andrea Varella estiveram aqui no escritório para falar um pouco dessa gestora carioca que tem quase R$2 bi sob gestão (e, a maior parte, dinheiro dos sócios) em um só fundo.

Esse é o episódio #2 do Lado a lado com o Gestor, nesta edição com a Paineiras, que compõe a parcela dos nossos Multimercados no FoF Melhores Fundos:


Um abraço,
Jojo

db-jojo-img