DIÁRIO DE BORDO

22/05/2019

Um blend para seus investimentos

db_15082019_img_01

Tudo começou em 1970 quando o departamento de Pesquisa e Desenvolvimento apresentou uma revolucionária máquina de café expresso. Ela utilizava um blend de 5 gramas de café moído que preservava o aroma. A nova máquina era fruto da missão inusitada dada aquele grupo: criar um sistema que fosse capaz de fazer um café expresso com a mesma qualidade daquele preparado pelos melhores baristas italianos. Foram dez anos de pesquisas para em 1986 a Nespresso ser criada na cidade suíça de Vevey, e em parceria com o fabricante Turmix, começar o revolucionário sistema para escritórios pela Itália e Suíça. Dez anos depois já possuiam 3.500 pontos de venda e 180 mil usuários – ou membros do Clube, como são chamados todos os consumidores que compram a máquina.

Nas mais variadas cores e tamanhos, começaram então a expansão internacional lançando o sistema na Grã-Bretanha, Malásia, Singapura e Taiwan. Em 1998, expandiram seu raio de atuação ao introduzir, em parceria com Alessi, uma máquina expressa de café com design moderno. No final de 2018, lançou a sua primeira variedade “Special Club”. Desde então, todos os anos na mesma época, os membros do Clube podem descobrir e saborear novos cafés em edição limitada, oriundos de locais pouco habituais.

O que a Nespresso fez se não democratizar o acesso ao café mais premium, aquele que só alguns baristas dominavam? Fazendo um paralelo com investimentos, os melhores baristas são os grandes alocadores de fortunas – para ter o café preparado por eles, é preciso ter grandes quantias aplicadas. Foi gerindo o patrimônio de algumas famílias muito ricas que trabalhei por anos da minha vida.

O que tentamos fazer na Vitreo (com algum sucesso, espero) desde o nosso primeiro dia é exatamente democratizar o acesso a bons investimentos. Trouxemos o melhor da gestão de fortunas em carteiras de fundos prontas para o investidor acessar com poucos cliques.

Trazer esses "aromas" a mais investidores deve-se, primeiro, ao sonho grande da Luciana Seabra (idealizadora das carteiras teóricas) e a competência do time em dar vida a elas em forma de FoF. O FoF é uma espécie de blend único, na porção adequada para seus investimentos. Eu nem tomo café, se não poderia elencar meu sabor favorito da Nespresso.



Falando em sabor

Várias pessoas que estão interessadas em ser tripulantes do nosso barco nos enviam e-mails como o do Olavo:

"Jojo. Já estou com 63 - mais perto de me aposentar - e não sei se tenho "este tempo todo" pela frente. Já fiz para minha neta e incentivei meus filhos a fazerem. Ainda não tenho certeza: O FoF é para mim? "

Olavo, se proclama "mais velho", mas eu diria que você está bem na fita e que o FoF é para você sim. De todo jeito, graças a pedidos como o seu, estamos estudando a possibilidade de termos "variações do FoF" para atender a estes "sabores específicos" como o seu. Recomendo a você ficar ligado.



Café forte, por favor!

db_15082019_img_01

Fonte: Folha de São Paulo, 16.05.2019

db_15082019_img_01

Fonte: O Globo 17/05/2019

CTalvez você tenha visto as turbulências do mercado dando uma castigada no seu saldo. Não me xingue, como alguns já fizeram. Como sempre dizemos, chacoalhar no curto prazo é normal. Devemos manter o olhar para frente e para os longos anos de viagem que ainda temos.

Contribuí com as duas matérias acima para ajudar os leitores a entender a natureza dessas turbulências. Temos duas forças atuando conjuntamente.

No cenário externo, o vai-e-vem da “guerra comercial” entre os Estados Unidos e o resto do mundo (com a China mais que todos os outros). O assunto, tratado às vezes de forma inconveniente pelo presidente Trump, mexe com os nervos dos mercados nos quatro cantos do mundo pois impacta as expectativas com relação ao crescimento global.

No cenário local, seguimos com a novela da reforma da previdência. Nesta trama, os personagens se alteram para jogar cascas de banana pelo caminho. Enquanto o governo acusa os parlamentares de fazerem corpo mole, muitos questionam a capacidade do governo em orquestrar e liderar a coalizão política necessária para a aprovação.

Infelizmente estamos ainda distantes de enxergar a luz no fim do túnel. A aprovação da reforma da previdência é condição necessária para o início do ajuste fiscal que o país precisa para voltarmos ao trilho do crescimento.

Enquanto isso, greves, demonstrações populares, tuítes e muita oscilação de preços. Assim, maio vai chegando ao fim com cores ruins. A bolsa americana (S&P500) chegou a cair -4.55%. Por aqui o Ibovespa caiu para baixo dos 90.000 pontos (-6,60%) e o dólar chegou a BRL/USD 4.11!

A boa notícia é que os mercados melhoraram nos últimos dias. Quem sabe não vemos um repeteco da recuperação do final de abril agora em maio também?



Quem seu filho quer ser quando crescer?

Quem seu filho quer ser quando crescer? Para os meus, Naomi e Michel, quis dar uma fonte de renda segura. Uma alocação que eu confio e olho de perto todos os dias.

No mês de maio (mês das mães) demos uma oportunidade de presente para elas, que mandam na casa e em tudo: a chance de darem um futuro melhor para seus filhos.

Se você quer dar um futuro mais tranquilo para seu filho(a), recomendo que você aproveite a condição especial para a contratação em nome de menores de idade.

Baixamos o mínimo para R$ 100 por mês ou R$ 1.000 de uma só vez para acessar um alto nível de alocação.

Veja esta simulação a seguir.

O gráfico mostra quanto uma criança acumularia ao completar 18 anos caso o responsável legal tivesse aportado R$ 4.000 em seu nascimento - e feito contribuições mensais de R$ 200.

Para efeito de simulação, assumimos o retorno do FoF SuperPrevidência dos primeiros 6 meses de vida. Lembrando que retornos passados não são garantia de retornos futuros.

db_15082019_img_01

*O ganho mencionado é resultado de simulação feita pela Vitreo Gestão considerando retorno de 135% do CDI e taxa de juros a 6,5% a.a, para um período de 18 anos. Os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos.



(Dis)farça a pegadinha

Um investidor nos encaminhou um e-mail do que seria uma suposta análise sobre o FoF SuperPrevidência. Dado o conteúdo no mínimo impreciso do mesmo, aproveito a oportunidade para repetir algumas informações importantes para você e corrigir falhas do texto, cometidas certamente de forma não deliberada.

A composição indicada no texto está desatualizada. Hoje investimos em 17 fundos (nem todos previdenciários) e não apenas nos 10 fundos iniciais. A composição atualizada da carteira teórica está sempre disponível no nosso site.

Desde o último dia 01/05, quando o fundo completou 6 meses, passamos a divulgar diariamente a performance do fundo em diversas janelas de tempo. Isso não é (e não deveria mesmo ser) usado como oferta ou garantia de retorno.

Mais a frente o texto sugere que deveríamos incluir o retorno histórico da carteira teórica da SuperPrevidência. Adoraríamos fazer isso, mas a legislação nos impede. Apesar da indicação da carteira teórica da SuperPrevidência existir desde meados de 2017, o fundo não existia antes de 29/10/2018. Isso sim seria uma pegadinha.

O autor do texto fala dessa performance, mas na hora de colocar no gráfico parece ter cometido algum erro de edição, pois a performance simplesmente aparece zerada no período, enquanto o benchmark por ele utilizado corre solto!

O texto, assinado por um agente autônomo afiliado a uma grande corretora, termina com uma recomendação de investimento muito concentrada em 4 fundos e fortemente baseada em retorno passado. Por aqui já sabemos que nenhum agente autônomo está autorizado pela CVM a fazer qualquer tipo de recomendação e que olhar no retrovisor não é a melhor forma de avaliar um investimento.

Agradecemos ao nosso investidor, que antes mesmo de nos avisar, já apontou esses e outros erros cometidos pelo autor do texto.

Sei que prometi falar sobre os dois novos fundos da carteira (CA Indosuez Heritage FIRF CrPr e Kinea Prev II XTR Icatu FICFIM) nesta semana, mas vou deixar para falar disso com calma na semana que vem. Até lá, já teremos completada a alocação nos dois fundos.



Setpoint! Lado a lado com o gestor (e ex-tenista) André Vainer, da Athena Capital

Depois de termos estreado com a Luciana Seabra, "mãe" das carteiras do FoF, temos o orgulho de trazer o primeiro gestor no Lado a lado com o gestor do FoF SuperPrevidência.


André Vainer da Athena Capital, que corresponde a 1,75% do nosso FoF SuperPrevidência, com o Athena Icatu FIA Previdenciário FIFE.

Um exímio ex-tenista, ele conta um pouco da estratégia da gestora, do histórico de gestão e como o tênis foi importante em sua vida – como investidor também.

Esperamos que goste do "bate-bola jogo rápido" que fizemos!


Um abraço,
Jojo

db-jojo-img